Policiais penais e militares concluem II Curso de Intervenção Penitenciária

Versão para impressãoEnviar por e-mailVersão em PDF

Cinquenta e dois policiais penais e militares foram certificados nesta terça-feira (16), com a conclusão do II Curso de Intervenção Penitenciária, promovido pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). A certificação ocorreu no Centro de Instruções Especializadas (Ciesp), no Complexo Penitenciário de Santa Izabel. O curso capacitou servidores de segurança pública para atuação nas casas penais do Estado na solução de qualquer conflito no sistema prisional de forma segura, técnica e humanizada.

O orador da turma, policial penal Welliton Ferreira dos Santos, destacou que a ênfase do curso foi o princípio da dignidade: o trato humanizado com o interno no início, meio e fim. "A todo tempo essa técnica foi batida. Eu tenho certeza que todos nós estamos aptos para adentrar em qualquer unidade penal do Pará e fazer intervenção dentro da legalidade e princípios da Constituição nacional, zelando sempre pelo princípio da dignidade humana", destacou.

Gerenciamento - O curso, que teve duração de 27 dias, qualificou servidores de segurança pública para ações e gerenciamento de crises no ambiente penitenciário. Dentre as disciplinas foram aplicadas teorias e práticas de direitos humanos, gerenciamento de crise, atendimento pré-hospitalar tático e escola tática de alto risco. Durante a cerimônia foi realizada uma simulação de intervenção prisional, em que os concluintes demonstraram como funciona a ação de gerenciamento de crise nas unidades prisionais do Estado.

 
De acordo com o titular da Seap, Jarbas Vasconcelos, a Secretaria desenvolve um “protocolo paradigmático”, reconhecido nacionalmente. "Quando assumimos a gestão, dissemos que sairíamos do último lugar do sistema penitenciário nacional e ficaríamos entre os primeiros. Hoje, dois anos depois, vamos dizer com muita tranquilidade, firmeza e humildade que nós seremos os primeiros muito em breve. E não chegaremos ao topo do sistema nacional sem dias como estes, que os arrastaram num internato de 27 dias, longe das suas famílias. O que faz uma nação grande não são governos e partidos, são homens e mulheres que têm a fibra que os distinguem. Vocês são vencedores e farão do Pará um estado vencedor, com a benção de Deus e a liderança do governador Helder Barbalho”, ressaltou o secretário.

O curso foi executado pelo Comando de Operações Penitenciárias (Cope) e pela Escola de Administração Penitenciária (EAP), ambos vinculados à Seap.